trindir.net
indian desi xvideo outside river pron
beylikduzu escort
sikis
porno
escort pendik
escort antalya
real life cam hd porn movies
sisli escort mecidiyekoy escort kadikoy escort beylikduzu escort alanya escort atakoy escort
gaziantep escort
gaziantep escort
izmir escort kayseri escort gaziantep rus escort
casino siteleri en iyi casino siteleri bahiscom
deneme bonusu
lara escortlar
diaafootball.com

No município de São José do Rio Preto, a criação do CRAMI representou um marco na intervenção frente às situações de violência contra crianças e adolescentes e possibilitou o desenvolvimento de várias estratégias de atuação através de projetos (descritos adiante) e parcerias que foram representativos no fortalecimento social da comunidade.

1996 – Projeto São Judas Tadeu – Famílias de Apoio

Em parceria com o Instituto Comboniano São Judas Tadeu. A proposta do projeto foi sensibilizar, preparar e supervisionar casais voluntários, que tivessem disponibilidade em acompanhar famílias em situação de risco.

1988 – 2000 – Atendimento de maus tratos contra crianças e adolescentes


Este programa de atendimento foi o primeiro trabalho desenvolvido no CRAMI, realizado no período de 03 de outubro de 1988 até 10 de julho de 2000, com a proposta de atender crianças e adolescentes vítimas de maus tratos e suas famílias, através de atendimento psicossocial, realizado por meio de visitas domiciliares e de atendimento (grupal, familiar ou individual) na própria sede. As pessoas atendidas eram notificadas pela comunidade através de um telefone disponível para este fim.

1997 – Projeto de capacitação de profissionais sobre violência doméstica

O projeto foi realizado durante o ano de 1997, tendo como finalidade sensibilizar os profissionais, como também a comunidade, da importância das ações preventivas da Violência Doméstica. As áreas de educação e saúde foram consideradas prioritárias por serem um locus privilegiado do aparecimento deste tipo de violência.

2000 – Programas preventivos na comunidade

Estes projetos foram desenvolvidos de abril a dezembro de 2000 com a preocupação do desenvolvimento de uma cultura para a paz e prevenção da violência doméstica.

“Grupo de reflexão para pais – reconstruindo o cotidiano familiar”.
O projeto foi desenvolvido junto às famílias moradoras dos Bairros João Paulo II e Solo Sagrado, notificadas ao CRAMI, com a proposta de atendimento em grupo de pais com o objetivo de refletir sobre o cotidiano familiar. 

2000 – Projeto – grupo de policiais militares femininas

Este projeto foi desenvolvido com as policiais militares que realizam a ronda escolar. A sensibilização e capacitação destes profissionais foi considerada fundamental na prevenção de situações de violência contra crianças e adolescentes.

2000 – Grupo de gestantes nas unidades básicas de saúde

Este projeto foi realizado de abril a dezembro junto às unidades básicas de saúde nos grupos de gestantes que frequentam o programa pré-natal.

 

1988 – 2000 – Projeto Resgatando Cidadania

Este projeto nasceu ampliando a proposta do trabalho desenvolvido no Núcleo III do Santo Antônio (projeto descrito anteriormente dentro do projeto núcleos). O CRAMI através de uma amostragem das situações de maus-tratos e a experiência do trabalho do núcleo III sensibilizou e fortaleceu a referida proposta.

Este projeto tornou-se um programa de política Pública Municipal absorvido pela Secretaria Municipal do Bem Estar Social.

Em 2000 este projeto foi ampliado para vários núcleos na comunidade com a denominação PROJETO CIDADÃO.


2001 – 2012 – Programa Sentinela

Foi uma estratégia fundamentada nas deliberações da Política Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Infanto-Juvenil, lançada pelo governo federal em parceria com a Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto tendo como conveniada para a execução o Centro Regional de Atenção aos Maus Tratos na Infância (CRAMI).

2002 a 2004 – Projeto Educação em Saúde

O projeto foi desenvolvido em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde, com objetivo de instrumentalizar os profissionais de saúde para o atendimento dos casos em que haja suspeita ou confirmação de maus tratos contra criança e adolescente através de um programa de capacitação envolvendo a rede pública municipal de saúde – programa de saúde da família, unidades básicas, pronto socorro e hospitais.

 

2002 – 2003 – Projeto Está em Nossas Mãos

Projeto Parlamentar desenvolvido em 2002 e 2003, para atendimento das famílias, crianças e adolescentes vítimas de abuso e exploração sexual.

 

2004 – Programa Fala Família – Rádio Comunitária Espaço Aberto

Este projeto foi elaborado dentro da proposta de prevenção primária atingindo a comunidade como um todo. O trabalho foi desenvolvido durante o ano de 2004 com 38 programas na rádio comunitária Espaço Aberto, sintonizando 104,9 FM. O programa era interativo, ao vivo, e com participação da comunidade através de perguntas e sugestões.

2004 – Programa “Protegendo nossas crianças e adolescentes” – formação de multiplicadores
Este projeto teve início em 2004, e foi desenvolvido por região administrativa considerando o maior índice de notificação de maus-tratos junto aos conselhos tutelares. Trata-se de formação de multiplicadores na comunidade com representação dos diversos setores, lideranças comunitárias e representantes das pastorais sociais e da criança.

2005 – 2007 – Projeto Grupo Reflexivo

Este projeto foi implantado no município de São José do Rio Preto em 2005, para atender as notificações de violência física, negligência e psicológica contra crianças e adolescentes notificadas nos Conselhos Tutelares. A meta é atender no período de dois anos cerca de 200 famílias.

2005 – 2007 – Projeto Diagnóstico e Revelação do abuso sexual contra crianças e adolescentes

A proposta deste projeto é atender crianças e/ou adolescentes, de 0 a 18 anos, que estejam sob suspeita ou tenham sofrido violência sexual, bem como suas respectivas famílias, através de atendimento psicossocial e jurídico, com a finalidade de revelar e diagnosticar a situação abusiva.

2004 a 2008 – Programa Agente Jovem

O Programa Agente Jovem, projeto federal, passou a ser executado pelo CRAMI (Centro Regional de Atenção aos Maus Tratos na Infância) a partir de agosto de 2004, através de um convênio com a Secretaria Municipal da Assistência Social, do Trabalho e dos Direitos da Cidadania. A proposta é atender 150 adolescentes, entre 15 e 17 anos, que estejam em situação de risco e/ou vulnerabilidade social, bem como mantê-los ou reinseri-los no sistema educacional. As ações são focadas no fortalecimento dos vínculos familiares e na elevação da autoestima, condições necessárias para a construção de vínculos sócio-comunitários positivos e desenvolvimento da cidadania.

2007 – Projeto de atendimento ao Abuso e Exploração Sexual – Petrobrás

Trata-se o presente projeto de uma parceria com CRAMI e Petrobrás, através do Conselho Municipal de dos Direitos da Criança e Adolescente, cuja finalidade baseia-se na ampliação do atendimento de crianças e adolescentes vítimas de Abuso e Exploração Sexual.
Essa estratégia está fundamentada nas deliberações da Política Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual Infanto-Juvenil, no eixo de atendimento, bem como de estudos, pesquisas e experiências desenvolvidas por diversos setores públicos e privados, os quais, por meio da doutrina e da vivência buscam desvendar e, principalmente, enfrentar o fenômeno social do abuso e da exploração sexual de crianças e adolescentes no país.
Consoante à concepção jurídica do ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente, três eixos respaldam a Política de Garantia dos Direitos da Criança e do Adolescente, a prevenção, o atendimento, e a defesa.

2005 – Capacitação no município de São José do Rio Preto e região

Este projeto surgiu a partir de solicitações de várias instituições que identificaram a necessidade de compreender e trabalhar com a situação de violência cometida contra crianças e adolescentes. Nas capacitações, a experiência teórica e prática do CRAMI é colocada e discutida com as instituições, considerando o contexto de cada uma delas.

2005 – Capacitação para profissionais das unidades de Educação Infantil e Ensino Fundamental da Secretaria Municipal de Educação

Este projeto teve seu início em parceria com a Secretaria Municipal de Educação e vem cumprir o que estabelece a lei Estadual 10.498 referendando o que estabelece o Estatuto da Criança e do Adolescente no seu art. 56, implantando a ficha de notificação compulsória para as situações de suspeita ou confirmação de maus- tratos contra criança e adolescente. Ë desenvolvido na proposta de Educação Continuada pôr módulo pôr área de maior incidência de notificações junto aos conselhos tutelares.

2012 – Em execução:

Projeto: ações complementares ao serviço de proteção e atendimento especializado para crianças e adolescentes vítimas de violência física, psicológica, negligência e violência sexual: abuso e exploração sexual/proteção social especial de media complexidade.

Projeto: serviço de acolhimento para crianças e adolescentes em família acolhedora/proteção social especial de alta complexidade.

Objetivo: assegurar a promoção, defesa e garantia de direitos de crianças e adolescentes vítimas de violência física, psicológica, sexual e negligência. Garantir proteção integral destes que estejam em medida de proteção, afastadas temporariamente de sua família, no Serviço de Família Acolhedora.